5 equívocos sobre CMMI na comunidade ágil - Blog CMMI & MPS.Br

5 equívocos sobre CMMI na comunidade ágil

By on September 8, 2010

Muitas pessoas (normalmente novas com Agile) tem uma compreensão erradas sobre Agile. Da mesma forma, muita gente na comunidade ágil tem idéias equivocadas sobre o CMMI (e… obviamente MPS.Br).

Neste ponto quero destacar cinco destes equívocos:

Equívoco #1: O CMMI é prescritivo

A verdade é que o CMMI prescreve muito pouco. Converse com um avaliador de alta maturidade e ele vai dizer que o CMMI é descritivo e não prescritivo.

Por exemplo, o CMMI diz que você deve ter um documento de requisitos, mas não diz nada sobre como o que ele deve ser parecido. Deve ser super detalhado? Deve ser leve? Deve usar UML? Nada. A escolha é sua. Um Product Backlog pode atender a esse requisito? Claro! Desde que ele atenda as necessidades de seu projeto.

Você decide o que é mais apropriado para você. O CMMI apenas diz que você deve seguir o que você decidiu que seguiria.

Equívoco #2: Um processo não pode funcionar em todos os projetos

Na comunidade ágil, muita gente tem a idéia errada de que o CMMI manda usar um único processo em todos os projetos. Isso não é verdade. O CMMI nível 3 pede um processo padrão organizacional, mas isso não significa usar um único processo em cada projeto. A organização pode ter vários processos padrão que podem ser aplicados em diferentes tipos de projeto. Assim, você pode ter Agile como um padrão para determinados tipos de projeto, RUP para outros tipos e um modelo tradicional para outros. A escolha é sua, os modelos que você vai usar são definidos por você de acordo com sua necessidade.

O padrão é esperado para uma constante evolução. Quando você tem uma situação diferente em seu projeto, isto deve ser incorporado à base de conhecimento e pode ser aplicado também ao Tailoring do processo para que os outros projetos se aproveitem destes novos conhecimentos.

Equívoco #3: Projetos com CMMI tem alto custo

O CMMI realmente pede muito pouco. A maioria dos projetos Agile (bem executados) gera tanta documentação quanto um projeto CMMI. O ponto é que é uma documentação em grande parte diferente.

É fato que muito do “alto custo” dos projetos acontece durante os processos de avaliação, quando a organização precisa manter diversas evidências indiretas dos fatos como todas as atas de reuniões, emails, documentos de detalhamento e outros. Isto acontece muito por orientação das consultorias como uma forma de mitigação do risco de insucesso na avaliação formal. Ninguém quer orientar uma empresa e não ter sucesso em uma avaliação.

Equívoco #4: CMMI significa cascata & Significa seguir um plano e não “atualizar” o plano

Como diria meu amigo André Nascimento: “Quem foi que disse que o CMMI é castata?” Isso é verdade, não há uma única linha no CMMI ou no MPS.Br que fale que o modelo é cascata. Não há nada. Ele é o que você definir que ele é.

O CMMI permite que você escolha qualquer modelo de ciclo de vida. Você pode escolher um modelo ágil se quiser, algo iterativo, algo espiral, enfim, você escolhe. O projeto também não esta amarrado a um plano estático. Na verdade, espera-se que mude, que seja atualizado sempre que for necessário (e isto acontece em todo tipo de projeto).

Equívoco #5: O CMMI valoriza o processo ao invés das pessoas

A valorização das pessoas é uma propriedade cultural da organização e é óbvio que toda organização devem valorizar as pessoas. Especialmente em TI, as pessoas são os maiores “ativos” das organizações. Valorizar as pessoas, reconhecer suas realizações e motiva-las deve ser uma das maiores prioridades de todo gestor (e todo mundo).
Enfim… o CMMI não diz que você não deve valorizar as pessoas. Não há conflito algum entre o CMMI e a valorização das pessoas

Em tempo…
O CMMI tem uma má reputacão na comunidade ágil porque muitas empresas se preocupam mais com a avaliação do que com a melhoria no processo organizacional propriamente dito.

Muitos acreditam que “ter o selo” gera mais valor do que as melhorias no processo organizacional propriamente ditas. Além disso, falhas na institucionalização ou estrutura fraca podem gerar resistências, muitas vezes por falta de compreensão do que é o modelo. Isto tudo, gera implementações que agregam pouco e que não estão alinhadas aos princípios ágeis.

About Washington Souza

Black Belt, Washington Souza tem mais de 10 anos de experiência com gestão. Participou de implantações em todos os níveis CMMI e MPS.Br A. Gosta muito de Six Sigma e gestão como um todo.

One Comment

  1. Gema Coar

    April 16, 2017 at 7:30 pm

    Thanks a lot for the blog.Much thanks again. Cool.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.